Night Run – Etapa Marte


Nesse sábado, dia 12 de abril, foi a minha primeira corrida de rua noturna. A Night Run é organizada pela O2 e a incluí no pacote que fiz da Running Pass este ano.

Fiquei pensando em todas as vantagens de participar desta corrida: não ter que madrugar, poder me alimentar melhor e chegar lá mais hidratada. Eu sabia que o percurso seria dentro do sambódromo e região e já imaginei que o percurso seria praticamente plano. O que eu temia aconteceu: corrida lotada…mas tudo bem….foi menos pior que a Circuito das Estações porque a pista era mais larga.

Mas vamos ao Kit:

Kit night run

 

Acho que foi a primeira vez que vesti uma camiseta de corrida de manga cumprida. E confesso que deu desespero porque estava calor, mas tudo bem…era de noite…uma brisa salvaria (mal sabia eu que viria uma tempestade rs rs). A bolsa em ráfia vem com zíper e é térmica. Muito genial! Este treco verde é tipo um bracelete que pisca luzinhas….eu adorei! O copo também é incrível e a medalha, linda!

Eu gostei que desta vez retiramos o chip no local de retirada do Kit e não na prova. Assim, fica menos tumulto.

A nossa largada estava marcada para às 19h30. Saímos de casa às 17h30 e pegamos um trânsito animal! Chegamos 19h20 e resolvemos assistir à largada e depois correr por causa da muvuca.

Foi uma das largadas mais emocionantes que vi! Luzes, balada, locutor animado..uma verdadeira festa!

Quando estava largando, reconheci a Camys, do Pensando Magro, pela GoPro flutuante e pelo cabelo dela. Foi a hora de dar aquele tiro e alcançá-la rs rs….

Depois, fui para o trajeto e me concentrei em mim. Estava ouvindo música, feliz da vida, prestando atenção na respiração e encantada por correr dentro do Sambódromo. Como eu detesto Carnaval, jamais imaginei que pisaria ali, mas confesso que a estrutura é bem legal (com exceção dos banheiros que eram mais nojentos que banheiro químico).

percurso

 

Comecei a sentir um calor da preula e de repente, umas gotinhas começaram a cair. Pensei: oba, chuvinha pra refrescar! O que?? Caiu o maior temporal! Eu estava ainda no km 3 quando o teaser de Noé apareceu.

Meu tênis começou a ficar pesado de tão encharcado que estava e eu morrendo de medo de perder o celular pra chuva. Vi várias pessoas escorregando e desacelerei pra não dar de cara no chão rs

e quando vi: plaquinhas de 500 m, 400 m….nossa…estava chegando no fim já. Cruzei a linha de chegada com 40’04”. Foi um tempo terrível, eu sei, mas estava há um tempo sem correr e fui na calma.

Quando encerrei a prova, vieram os problemas. A chuva apertou ainda mais e tinha aquela tradicional fila imensa para retirar a medalha. Tudo isso a céu aberto, só tomando chuva. Quando encontrei o marido, resolvemos ir embora logo porque ficamos com medo de resfriado. Imagine só: seu corpo começa a esfriar da corrida e tá todo encharcado? Não dava não.

Fomos para o carro e amém senhor que tínhamos levado duas toalhas cada um pra sentar no banco e camisetas extras. Mesmo assim, molhamos o carro pra caramba. E estava a maior pra sair do estacionamento.

Minha nossa! Contras da prova: estacionamento caro pra caramba e falta de cobertura para eventuais chuvas rs.

A nossa tradicional foto teve que ser feita dentro do carro mesmo rs rs 20140412_205251[1]

 

Agora estou no aguardo das fotos oficiais…será que saí em alguma? rs

 

Anúncios

Lavando a alma!


Quem resolveu passar a virada de ano no litoral norte de São Paulo sabe muito bem a expressão-título deste post. O último dia do ano amanheceu chuvoso. Mas não foi qualquer chuva não! Foi daquelas bem fortes e ainda com vento. Vento capaz de ter criado ondas grandes em uma praia que dificilmente se consegue pular as setes ondas de tão calmo que é o mar.

Anoiteceu e a chuva não parou. Pela janela estávamos os 7 olhando para o escuro se conformando pela ausência de fogos que anunciariam a chegada de 2012. Afinal…que fogos iriam aguentar tanta água e vento? Daí veio o susto: um super clarão na Ilha Bela (tipo uma laterna gigante) e puf: acabou a luz por lá. Achávamos que só São Sebastrovão tinha luz ainda! Quando olhamos para a praia, um susto: um barco pesqueiro encalhado na areia e algumas pessoas desesperadas tentando amarrar o barco nos coqueiros para que ele ficasse preso ali. Ventava muito.

Quando chegou 2012 uma surpresa: fogos! Sim. Quem comprou não teve dó, soltou tudo! Foi lindo! A chuva diminuiu e o vento também e o espetáculo foi incrível. A emoção foi tanta que ignoramos o que restava da chuva e corremos para o mar. Pulamos as sete ondas (se simpatia não funciona, mal não faz rs). Olhamos para os lados e vimos que muita gente surgiu do nada para fazer a mesma coisa. Mais espetáculo de fogos. E ficamos ali. ensopados saudando a chegada de mais um ano! Lavamos a alma, sorríamos muito e ainda comemorei um ano de noivado! Esplêndido. Benvindo, 2012!

 

#10 no transporte público


Tecnologia: segundo novo trem na linha vermelha

Sexta-feira amanheceu chuvosa. Aliás em algumas regiões da capital paulista ela não parou desde ontem à noite. Pois bem, quem utiliza o transporte público todos os dias sabe o que uma chuva (chuvisco, garoa, chuva, tempestade ou fim do mundo) pode significar: caos. Para isso é bom sair de casa com uma dose extra de paciência.

Para a minha sorte, cheguei à plataforma e o segundo metrô novo da linha vermelha estava lá:  lindo, novo e com ar condicionado. “Oba” – pensei – “Não vou sufocar”.

Mas, mero engano. O ar condicionado não estava funcionando direito. E para piorar as pessoas emperravam a porta. Mas, ao contrário dos trens normais, não ouvimos mais a voz emocionada do condutor: “Não segure as portas do trem, isso causa atrasos”. É tecnologia, melhora algumas coisas, mas piora outras.

Série
#9 No transporte público – dúvida e incerteza
#8 No transporte público – fones de ouvido
#7 No transporte público – seleção brasileira deixa a Copa
#6 No transporte público – o que é o respeito?
#5 No transporte público – jogo do brasil
#4 No transporte público – amor entre amigas
#3 No transporte público – cidadão e funcionário
#2 No transporte público – mulheres e futebol
#1 No transporte público – o riso é o melhor remédio contra o mau humor
No transporte público – que série é essa?

Antes de acenar, verifique-se se é a pessoa por quem você espera


Em caso de chuva, redobre a atenção

Chovia muito naquele dia. Mas mesmo assim o encontro entre Rodrigo* e Júlia* estava confirmado. O tempo frio foi uma boa pedida para ir até a Galeria dos Pães tomar uma sopa bem quente.

Combinaram de se encontrar lá. Ela tem um C3 e ele um corsa. Rodrigo não pegou trânsito, apesar da chuva, e preferiu deixar o carro no estacionamento com manobrista. Ao parar, observou que havia um C3, igual ao de Julia, atrás dele.

Não teve dúvidas. Feliz com o encontro antecipado, acenou para a moça. A porta do C3 abriu e com grande alegria Rodrigo sorria. Mas se desfez quando percebeu que do C3 saía um homem.

– Me desculpe, achei que era minha amiga – disse Rodrigo

O homem se aproximou, sorriu e disse:

– Não tem problema, gato.

Rodrigo ficou super sem graça e saiu do estacionamento. Encontrou na Galeria dos Pães e momentos depois chega Júlia.

– Você não sabe o que acabou de me acontecer….- disse Rodrigo.

É, Rodrigo…a Parada Gay esteve logo ali..faz parte. Quando menos se espera, lá vem a cantada. Da próxima vez, olhe bem para saber se é o carro certo.

Essa história é real e me foi contada neste sábado o que me fez lembrar que já passei por uma situação parecida.

Tinha combinado com o meu namorado que ele fosse me buscar após meu curso que era a noite. Acabada a aula, desci da escola e vi o gol branco parado ali na frente. Certa de que era ele, fui na fé e abri a porta do carro.

Mas….no momento que abri, eu me arrependi. Vi a professora se amassando com o namorado dela. E para piorar, eu dei o maior berro.

– AAaaaaaaaaaah! Desculpa, desculpa…

Bati a porta roxa de vergonha. Tentei voltar para a escola, mas ouvi uma buzina e quando olho para trás, vejo meu namorado rindo da minha cara.

– Da próxima vez, você olha a placa do carro – disse ele.

É, sábio conselho para mim e para o Rodrigo.

E você? Já passou por situação semelhante?

*Nomes inventados.