Shrek chega ao capítulo final (?)


E a saga “Shrek” chega ao fim, aparentemente. Estreou nesta sexta-feira o capítulo final da série que tira sarro dos contos de fadas e foi com grande expectativa que fui ao cinema conferir meu ogro favorito.

Mas, tive uma pequena decepção. Shrek para mim era um grande tirador de sarro das histórias infantis e a cada episódio havia um mix de paródias dessas histórias regado a muitas piadas e bom humor. Desta vez foi diferente. Fomos literalmente introduzidos ao conto de Rumpelstiltskin, aquele duende que faz o acordo com a princesa: ele promete transformá-la em rainha se ela der o seu primeiro filho a ele.  A recisão do contrato era advinhar o nome dele tão complicado. Está lembrado?
Veja o vídeo abaixo da série “Contos de fada” da TV Cultura.


Pois é, desta vez o conto manteve as suas características na animação da DreamWorks, quase sem pitadas de risada. Shrek está entediado por não ser mais temido pelos aldeões. Juntando a isso, vem a rotina de cuidar dos seus trigêmeos. Cansado de tudo isso, assina um acordo com Rumpelstiltskin, que lhe promete um dia de ogro.

Aqui começa a trama. Todos estão diferentes, Burro não conhece Shrek, mas continua cantarolando, o Gato está mais gordo do que nunca e a Fiona é uma ogra revolucionária que tenta, junto com outros ogros, derrubar o reino de Rumpelstiltskin. Como todo vilão, Rumpelstiltskin faz de tudo para que Shrek não cumpra a recisão do contrato que, no caso, é o beijo do verdadeiro amor.

“Shrek para sempre” ficou parecendo um desenho cheio de “moral da história”com apenas alguns momentos engraçados garantidos pelo Gato de Botas e o Burro. Se esta foi a real despedida da animação, deixou muito a desejar.  Não vi a cópia em 3D, mas acho que nem isso salva o roteiro fraco do capítulo final.

Veja trailers


Anúncios

Um comentário sobre “Como treinar o seu dragão”


Soluço e Banguela em "Como treinar o seu dragão"

Uma história aparentemente tosquinha surpreende nos diálogos, ou ausência deles, e na montagem. “Como treinar o seu dragão” é uma adaptação do livro “How to train your dragon” de Cressida Cowell e  conta a história do desajeitado Soluço, filho de um grande Viking.  Eles moram numa aldeia que vive sendo atacada por dragões e a função destes vikings é exterminar todos.

Ao contrário dos jovens da sua idade, Soluço é franzinho e não tem aptidão para lutar contra dragões, mas tem sede de provar suas habilidades. Numa dessas, inventa uma catapulta para capturar as feras e, por acaso, consegue prender aquele que todos temem: Fúria da noite, o dragão que só aparece à noite e destrói tudo que vê pela frente. Incapaz de matá-lo, Soluço o liberta e a partir daqui a animação ganha ritmo.

Os planos são mais curtos e a montagem bem surpreendente. Mas pra mim, o melhor de tudo foi a expressão do Banguela, nome dado ao Fúria da noite. Fiquei encantadíssima a observar como a computação gráfica vai além do esperado e consegue passar emoções que nenhum diálogo passaria. Aliás, diálogo verbal entre o menino e o dragão não existe, mas você entende perfeitamente tudo que está acontecendo.

Os diretores Dean DeBlois e Chris Sanders usaram muito bem a montagem paralela entre o crescimento do relacionamento do menino e do dragão e o treinamento de Soluço como viking.  “Como treinar o seu dragão”é uma animação da Dreamworks e na mesma linha de Kung Fu Panda e Espanta Tubarões traz uma moral da história. Neste caso, trata-se de não julgar aquele que você não conhece.

Não sou nenhuma cinéfila, mas este filme encantou tanto que resolvi falar dele aqui. Se interessou?  Dá uma olhada no trailer. A animação ainda está passando no IMAX e nos principais cinemas.

Ficha Técnica
Título Original: How to train your Dragon
Direção: Chris Sanders & Dean Deblois
Roteiro: Will Davies, Chris Sanders, Dean Deblois
Adaptado da obra de: Cressida Cowell
Elenco: Jay Baruchel, Gerard Butler, Craig Ferguson, America Ferrera, Jonah Hill, Christopher Mintz-Plasse, T.J. Miller
Produção: Bonnie Arnold
Produção Executiva: Kristine Belson, Tim Johnson
Direção de Arte: Pierre-Oliver Vincent
Supervisor de Efeitos Visuais: Craig Ring
Chefe de História: Alessandro Carloni
Chefe de Animação de Personagens: Simon Otto
Supervisor Estereoscópico: Phil McNally
Chefe de Efeitos: Matt Baer