Enfim, formada (2)


Está aí um post que há anos atrás eu jamais pensaria em escrever! Digo isso porque aos meus 17 anos eu nunca iria dizer que faria duas graduações. E ainda duas graduações dentro da comunicação!

Sim, senhores! A primeira opção logo que saí da escola foi jornalismo. Passei quatro anos na PUC. Aprendi um bocado de coisas úteis e também inúteis e acabei me formando com um gostinho de quero mais e ainda com o sonho de estudar na Cásper Líbero.

E lá fui eu prestar o vestibular. Para a minha alegria (e surpresa) eu passei em 12º lugar no curso de rádio e tv. Estava mega empolgada.

Eu entrei com a pegada de aproveitar cada momento. Estava mais madura, com 21 anos, e sabia que estava ali por opção. O primeiro ano foi o mais puxado com as matérias teóricas e eu estava desacostumada a fazer provas escritas. Mas as notas foram boas. E dos anos seguintes também. Tive professores maravilhosos, alguns nem tanto, e conheci muita gente legal, outros nem tanto também.

Aprendi a fazer coisas que nem esperava que fosse capaz de fazer. Calma, digo isso de qualidade técnica profissional e intelectual, nada ilícito ou vergonhoso. Mas também aprendi a ser mais paciente e vi que a vida fica muito mais fácil quando nos colocamos no lugar de aprendiz. Sério mesmo! Pensar que sabe tudo só traz frustração, mas se você mantém a mente aberta, tudo vem como algo que vai te acrescentar.

Enfim, foram muitas provas, trabalhos e o desafio da primeira monografia. Encerrei o ciclo de 4 anos com notas altas, quase sem faltas e feliz pela jornada que trilhei. E nessa segunda-feira foi a cerimônia oficial me informando que acabou mesmo! Eu colei, mais uma vez, o 3º grau. Sim, oficialmente sou radialista!

Só tenho a agradecer aos professores pelo incentivo, aos colegas pelas ideias divididas e trabalhos realizados, mas principalmente à minha família que mesmo às vezes não entendendo como eu aguentava a correria, me apoiaram como sempre fizeram.  Mãe e pai, sem vocês eu não teria tido condições de estudar o tanto que estudei. Grata por tudo que me deram. Só cheguei onde estou porque vocês me deram a oportunidade.

Eu consegui! Me formei, colei e grau e tenho a felicidade de dizer que agora sou jornalista e radialista!

Cerimônia de Colação de Grau

Cerimônia de Colação de Grau

Antes que as piadas comecem, não…não tenho interesse em cursar outra graduação. Se for para voltar à faculdade, que seja uma pós e quem sabe até mestrado e doutorado? Quem sabe… ainda sou nova e sei que os percursos são diversos, mas o caminho ainda é o mesmo! =)

 

Anúncios

Enfim, formada


28.01.2009 - Colação de grau - Jornalismo e Multimeios - PUC - realizado no TUCA

A passagem de estudante para jornalista

 

 Colação de grau – 28.01.2009 – Jornalismo e Multimeios – PUC – realizado no TUCA

Foram 04 anos acordando às 5h00 com o céu escuro…

04 anos pegando o metrô muitas vezes lotado e as filas intermináveis do ônibus…

04 anos subindo aquelas rampas e sentando naquelas cadeiras minúsculas…

04 anos para perceber que não sou mais criança…

04 anos de uma longa caminhada.

 

Antes de entrar numa universidade, imaginava um mundo totalmente diferente pelo que passei. Aliás, este mundo existiu, mas percebi que eu não precisava, necessariamente, fazer parte dele.

 

 Eu pude continuar a ser quem eu era sem ter que me adaptar para ser uma universitária. É claro que para isso, deixei de fazer muito amigos que eu sabia que dentro de 01 ano não teria mais contato. Entretanto, posso dizer com toda a sinceridade do meu coração que foram poucas, mas essenciais, as pessoas que eu hoje chamo de amigo. E elas sabem que eu não preciso nomeá-las.

 

Manter a minha essência me deixou fora de bares, baladas, JUCAs e churrascos e de muitas rodinhas, mas não vejo isso como problema porque eu desfrutei a universidade de uma outra forma. Aprendi, com uma dessas pessoas que chamo de amiga, a estudar, a pesquisar e a não ter medo de ultrapassar os limites dos trabalhos e até mesmo de vê-los de outra forma.

Foram inúmeros os domingos e feriados em que me reunia com essas pessoas para transformar os trabalhos em aprendizado e diversão. Não sinto, de forma alguma, que desperdicei meus finais de semana, pois eles foram todos mais que válidos e os guardarei com muito carinho dentro de mim, até sentirei enormes saudades.

 

Aprendi também que a teoria (e olha que foi muita) não se aplicava somente ao exercício da profissão, mas a nova pessoa em que eu pude me transformar.  Eu me olho no espelho e vejo que amadureci sem deixar os meus princípios de lado e isso me deixa orgulhosa.

 

Ontem foi a confirmação de que esses 04 anos já passaram e que, a partir de hoje, meus professores já me chamam de “colega de profissão”. É uma imensa felicidade saber que eles, os nossos grandes orientadores na profissão nos reconhecem como jornalistas e não mais como estudantes. Para mim, é o grande motivo da colação de grau.

 

Participei de todas as colações de graus: 8ª série, 3º colegial, mas nenhuma me causou a emoção de vestir a beca como ontem. Quando eu coloquei o capelo eu vi que havia completado uma fase muito importante na minha e me senti vitoriosa por estar colando o grau de uma universidade tão conceituada  num curso que faz parte de mim.

 

Os discursos foram o meu momento de reflexão. Vi os 04 anos passando diante dos meus olhos e confesso que neste momento as lágrimas caíram de felicidade.  Ao ouvir meu nome, o momento em que estava confirmado. Peguei o canudo, vi a alegria dos meus familiares e amigos presentes e gritei dentro de mim: ESTOU FORMADA!