Vida em cena


Ontem foi um dia um tanto especial. Desafiador, confesso, tenso e ao mesmo tempo cheio de alegrias. Na Cásper, gravamos nosso teleteatro. Nossa primeira grande produção de TV.

Um grupo de mais de 20 alunos com personalidades distintas se viu unido para criar um programa do nada e ainda fazê-lo ao vivo. Medo e ansiedade acompanharam toda a pré-produção: desde a escolha dos cargos, ao roteiro e primeiras execuções. Brigas, discussões, novas amizades, ex-amigos. Rolou de tudo.

Correria total! Roteiro, atores, figurino, ensaio, gravações de externa, vinhetas, ensaios de novo, cenário, produção…corre e corre pra lá e pra cá. E ontem, ver tudo aquilo ali na nossa frente, arrepiou. Mas como Murphy existe, algo tinha que dar errado. E desta vez a culpada foi a nossa aliada diária: a tecnologia.

Fomos exportar os VT’s e o render do final cut era mais lerdo que uma tartaruga. Na hora de passar para a mini dv…não gravou…desespero. Nos 48 do segundo tempo, conseguimos entramos no ar.

Meu coração batia muito forte quando o diretor pediu silêncio momentos antes de gritar ação.

Todos no set concentrados.
Os olhos brilhavam.
Começa a música e o mímico entra em cena.

Quase fiquei sem ar tamanha foi a alegria de ver todo o trabalho concretizado ali, na nossa frente. Me segurei para não deixar cair uma lágrima. Houve alguns problemas, é claro, somos todos iniciantes, mas ver todos ali, juntos…foi algo maravilhoso.

Quando tudo terminou, sorri e pensei: “Mas já acabou?” Pois é, acabou…e para quem não estava lá, coloco aqui um aperitivo: a vinheta de abertura que deu tanto trabalho a mim e a Mayara Picoli. Foi um sábado cheio de trabalho, expectativa, mas regado a muito chocolate e cooperação. Sem palavras para definir o auxílio que algumas pessoas queridas nos deram. Só tenho a dizer: muito grata!